Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘vida’

Bah, tô de saco cheio!

Não aguento mais tantas cobranças, tantas aparências, tantas insinuações! Será que é pedir demais pra me deixarem em paz? Pra me deixarem viver minha vida sem falsos moralismos? Não sou nenhuma ameba de porta de bar, que não consegue se virar sozinha depois da segunda dose! Não sou nenhuma estátua de qualquer praça aleatória ao redor do mundo! Não consigo me manter impassível diante de algumas coisas. Apesar de ser muito contida, eu sou GENTE! Eu também sinto, rio, me enfureço, choro (não com tanta frequência, mas acontece), tenho vontade de dar um grande dedo do meio para as hipocrisias, ignorâncias, e babaquices do universo! Não, eu não falo de sentimentos, mas isso não quer dizer que não sinta. Isso não quer dizer que eu não me magoe com certas atitudes, que eu não me alegre com outras e, também, não quer dizer que eu não me importo.

Não sou a pessoa mais delicada do mundo, nem a mais legal, muito menos a mais simpática ou a mais inteligente. Mas, a meu modo, tento fazer melhor a vida das pessoas que estão ao meu redor. Conhecidos ou não. Me agarro fortemente àquela velha frase “nenhuma pessoa é uma ilha”, e com isso tento afetar e me deixo ser afetada… mas tudo tem um limite e, quando começam a tentar tomar as rédeas da minha vida, começam a tentar me podar, epa! perae! vamos com calma! Eu sei o meu limite.Eu sei até onde posso chegar. Aprendi isso tomando muita cabeçada. Então, por favor, guarde seus sermões! Contente-se em saber que não será isso que vai me mudar.

 

E seja feliz.

 

 

Anúncios

Read Full Post »

Todo mundo tem fobias, isso é fato. Algumas pessoas tem medo de animais, outras de lugares fechados, situações, pessoas. Pois bem, dentre as muitas fobias que possuo, a mais incontrolável é a de pessoas que escrevem errado. Tô falando sério, não suporto pessoas que escrevem errado. Parece que tenho uma cãibra mental toda vez que vejo uma palavra escrita errado ou leio uma frase sem a mínima coerência e, por mais legal que a pessoa seja, surge aquele receio, descrença, incômodo, tudo junto e misturado.

Juro que tento não ser tão radical, mas é que não dá! Poxa, é sua língua nativa! Você estudou 13 anos dessa merda só na formação básica (infantil, fundamental e médio)! A não ser que tenha matado todas as aulas de português que teve na vida, o resto não justifica nenhum pouco esse descaso com a língua.

Aí alguém pode falar: “Poxa, mas que discurso mais heterocêntrico, europeu e elitizado! O jeito errado de escrever expressa o meio que essas pessoas vivem”. E eu respondo: “ÀS FAVAS COM ISSO!”. Se fosse o século -273º Kelvin a.C., até aceitaria, mas estamos no século XXI! A informação tá aí, pipocando em todo canto, só é ignorante quem quer! E quem quer MUITO! E sim, é ignorância… mas não por falta de conhecimento, mas sim por falta de vontade de sair do orkut e ir pro google pesquisar algumas regras gramaticais.

E, confesso, outra fobia que possuo é de gente inerte. Pessoas que falam que querem fazer isso, aquilo, aquilo outro e não levantam a bunda da cadeira, ficam esperando as coisas caírem prontas na frente delas. Cara, você não é um cadáver! Levanta a sua bunda gorda da cadeira e vai se mexer! Vai correr atrás dos seus objetivos! A vida não é um pacote de pipoca que você coloca no microondas e em 3 minutos tá pronta! Pessoas assim me deixam irritadíssima. Tenho vontade de bater a cabeça delas na parede até rachar e ver se sai alguma coisa mais consistente que vento dali de dentro. Sim, estou falando sério.

Fico me perguntando por que essas pessoas são tão apáticas?! Será que é tão difícil sair da zona de conforto, expandir os horizontes, ou seja lá o nome que você quer dar pra isso?! O mundo é muito maior que os limites da sua cidade! Existe muito mais pessoas no mundo do que sua roda de 5 amigos! É errado ter poucos amigos? Não, não é. É errado, sim, pensar que o mundo se limita a isso. Vamos, levante-se, mexa-se! O tempo passa rápido, as oportunidades passam mais rápido ainda, e você aí, sentado na cadeira fazendo cosplay de estátua!

Falo isso dessa forma porquê nunca me enxerguei dentro de fronteira alguma. E consequentemente nunca coube dentro delas. Então é muito simples dar um tapa na cara das pessoas, já que realmente não vejo como conseguem ficar paradas uma vida inteira no mesmo lugar.

Bem, essas fobias não tem relação entre si, mas eu precisava compartilhar. São coisas que me incomodam profundamente e a necessidade de expressá-las é mais forte que o meu desejo de segurar.

Por hoje é tudo, pessoal!

Read Full Post »

Levando em consideração a atual situação em que me encontro, comecei a refletir muito sobre o sentido da vida. Muitos filósofos tentam responder essa mesma pergunta há milênios, e sempre há divergências sobre a resposta. Sendo uma pessoa muito ocupada, enquanto estou ativamente jogando ragnarok ou WoW, penso muito nisso e, há alguns dias, encontrei a resposta pra questão fundamental da vida, do universo e tudo o mais. (e não é 42!)

Bem, uma pessoa só consegue ser plenamente feliz quando tem a sua disposição cupcakes suculentos e serelépamente decorados… eu fico feliz só de ver um cupcake. Sério.

Outra coisa que faz uma pessoa atingir o nirvana é o chocolate. Poxa, comer uma barra maciça de 1 kg de chocolate é privilégio de poucos, infelizmente, pois se todo mundo comesse uma dessas por dia, o mundo seria bem mais feliz e colorido.

Ainda nessa mesma linha, só é feliz quem tem uma máquina de sorvete na cozinha. Quando eu ganhar na loteria, essa vai ser a primeira coisa que eu vou comprar. Meu sonho é acordar de manhã, colocar a tigela embaixo da torneirinha que sai o sorvete, apertar, e depois colocar um monte de m&m’s no meio… esse é meu café da manhã dos sonhos! *-*

Tirando os cupcakes, o chocolate e a máquina de sorvete infinito, só resta mais um item: DINOSSAURO!

Sério, eu seria plenamente feliz mesmo se tivesse todos os itens supracitados mais um velociraptor no meu quintal (precisa ser um dinossauro pequeno porque o espaço é limitado… sabe comé que é, neh…).

Enfim, pra mim a vida só terá sentido quando eu puder sentar com minha tigela de sorvete, meu chocolate, meus cupcakes, numa poltrona confortável, olhando meu velociraptor brincar no meu quintal.

Até lá, vou me virando com o que posso…

Read Full Post »

“Engraçado como as coisas acontecem na vida da gente.”. Há muito tempo comecei um texto com essa mesma frase… e coloquei tanto sentimento naquelas duas folhas que, até hoje, penso que nunca mais conseguirei escrever algo tão verdadeiro.
Em todo caso, essa frase hoje vai servir para ilustrar uma coisa recente que me aconteceu… Há algum tempo eu escrevi o post aqui embaixo, sobre propagandas e tudo o mais, e acabei desviando o propósito original (achei que deveria colocar algumas imagens históricas.). Não é que, duas semanas depois, eu fiz um seminário sobre o uso de imagens, fotografias e filmes no ensino de História?! Poxa, achei super coincidência isso… E foi muito ao acaso que escolhi esse tema… depois do seminário pronto e apresentado, me dei conta que o post trazia alguma coisa sobre… bacanão, mesmo!

Enfim, o título e o texto desse post são facilmente explicáveis: estou relapsa demais com o blog, então resolvi atualizar… como não sabia sobre o que escrever, resolvi contar esse pequeno episódio sobre coincidências… (que, aliás, são sempre bem-vindas!).

xD

Read Full Post »

Depois de muito tempo, eis que estou de volta com um post que vai ajudar muita gente: Receita do famoso bolo de caneca.

Well, quem mora sozinho tem uma preguiça lascada de ficar cozinhando, isso é fato, só de imaginar o trampo que dá limpar a cozinha depois nós, pobres almas solitárias, pensamos o quão mais prático seria se fizéssemos fotossíntese. Ok, mas já que não nasci um jacarandá resolvi buscar pela internet receitas simples e rápidas (e gostosas!) e eis que me deparo com a tal receita do bolo de caneca…

Sei que já foi dada até na tv em algum programa de culinária, mas não custa nada colocar no blog e compartilhar com vocês! Encontrei um vídeo muito supimpa também que ensina a fazer passo a passo.

Segue a receita:

Receita: Bolo de Chocolate de Caneca

03 Colheres de sopa de leite Integral
04 Colheres de sopa de açúcar
03 Colheres de sopa de óleo
02 Colheres de sopa de chocolate em pó
04 Colheres de sopa de Farinha de trigo
01 colher de chá de fermento
01 ovo

Modo de preparo:
Jogue tudo de uma vez: a farinha, o açúcar, o chocolate em pó e o fermento. E misture esses ingredientes.

Depois jogue o ovo, o leite, o óleo e misture bem até parecer massa de bolo.
Agora é só deixar no microondas por três minutos na potência máxima (e rezar pra caneca ser grande o suficiente pra não cair e fazer a maior lambuzera).

Enjoy it!

Read Full Post »

Hoje é meu aniversário.

E por isso resolvi colocar um post em homenagem a mim.

Nada muito longo ou denso.

Só um post desejando feliz aniversário… pra mim!

=D

Parabéns também a todas as pessoas que fazem aniversário hoje! \o/

E parabéns à cidade do Rio de Janeiro (eu ainda vou mudar pra lá só pra ser feriado no meu aniversário… u.u).


#Morangoday

Read Full Post »

Quando saímos de casa temos de aprender a fazer uma porção de coisas, já que mamãe está a muitos kilômetros de distância e não dá pra correr pro colo dela todas as vezes que acontece alguma coisa. Fui aprendendo isso aos pouquinhos e, hoje, sou quase Ph.d. em resolver situações outrora impossíveis.

Saí de casa aos 17 anos, um bebê ainda, fui pra uma cidade distante, desconhecida e pouco agradável para fazer faculdade. No primeiro ano, fui morar sozinha em um apartamento no centro da cidade. Tudo que eu precisava estava bem próximo, mas só fui me dar conta disso quando saí do apartamento e fui morar mais perto da faculdade… Ok, sem problemas…

Morar sozinha foi uma experiência válida… descobri que janelas não se fecham sozinhas, que carne moída esquecida por duas semanas na geladeira apodrece (e dá um cheiro terrível na casa toda) e que fazer faxina é deveras cansativo.

Bom, depois dessa breve introdução, contarei dois episódios que aconteceram logo que cheguei em Assis…

Cheguei num domingo a noite no meu apartamento, o primeiro dia sozinha na nova cidade, e me dei conta que estava com MUITA fome… Ok, não priemos cânico… Fui até a cozinha e preparei um arroz, a coisa mais fácil de fazer quando não se tem miojo a mão! O único problema é que eu não sabia COMO fazer arroz, então apelei pra memória, lembrei de como mamãe fazia e resolvi arriscar. Resultado: O negócio ficou tão ruim, mas tão ruim, que eu fiquei comendo a semana inteira com medo de fazer de novo e sair pior. Foi basicamente arroz de carnaval, o bicho saía em blocos da panela… terrível!

Passado esse episódio desastroso, fui pegando prática e aprendi a fazer o tal arroz… Passei 1 ano me alimentando de macarrão alho e óleo com ovos mexidos e arroz branco com peito de frango grelhado…. até ter um crosópi por deficiência de vitaminas e ter que começar a comer um monte de coisas verdes e saudáveis.

Depois que aprendi a fazer o tão sonhado arroz branco, resolvi alçar novos vôos e partir para o campo das sobremesas. Óbviamente, fui tentar fazer brigadeiro de microondas. No meu microondas há as teclas de sobrevivência: Cachorro quente, Brigadeiro e Arroz, o que me deu um certo ânimo e a confiança necessária, afinal, era só colocar os ingredientes lá dentro, apertar a devida tecla, e comer depois do bip. O plano perfeito!

Na empolgação de ser o primeiro brigadeiro (ah sim, nunca tinha feito isso antes também…), ao invés de usar achocolatado em pó, resolvi usar uma barra de chocolate meio-amargo pra dar um tchãn, um sabor especial. Derreti o chocolate, adicionei os ingredientes, coloquei no microondas e alguns minutos depois tive uma surpresa:

meu primeiro brigadeiro de microondas

Sim, mamíferos! Eu tive a capacidade de transformar um adorável brigadeiro em uma pedra! Fiquei com um ódio tremendo da minha falta de capacidade em operar um simples microondas, e mais ódio ainda em perder 1 barra de chocolate!

Demorei quase 1 semana pra tirar a colher do meio dele, me senti o Rei Arthur tirando a Excalibur da rocha (clichê)… a diferença é que Arthur não precisou ferver a espada pra tirar os fragmentos grudados nela…

Depois dessa experiência terrível, aprendi uma coisa muito importante: quando estou com vontade de comer brigadeiro (ou qualquer coisa que fuja do tradicional arroz branco), peço pra outra pessoa fazer! É fácil, rápido, simples e prático! xD (a Ju que o diga… hehehehehehe)

Em breve postarei outras histórias de coisas bizarras que só acontecem comigo!

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: